RSS

Arquivo da tag: Maceió

Recado a Teo Vilela e a Dário César

Sr. Governador Teotônio Vilela e Secretário Dário César,

Espero que este recado chegue aos senhores e a todos os responsáveis pela segurança pública do meu estado, em especial da capital, onde resido.

Hoje, pela milésima vez, mais um carro foi assaltado, mais um aluno foi roubado, na porta da faculdade. Eu e algumas centenas de jovens adultos estudam à noite no Cesmac (Fecom, vizinho à Tv Pajuçara) e nos sentimos amedrontados. O medo é tanto que já não ando até meu carro, corro. Já não espero as aulas terminarem, pois quanto mais tarde, menos gente e mais perigoso.

Recentemente soube de uma garota que foi estuprada na ladeira da catedral, sim, ali, vizinho à ALE, um dos poderes instituídos do estado. Não aguento mais viver com medo, não aguento mais sair e não saber se volto, não aguento mais temer por meus entes queridos.

Óbvio que clamor como este os senhores já ouviram de muitas pessoas, vítimas reais de um crime real, pessoas que perderam bens ou familiares, eu não perdi nem um e nem outro (ainda, tenho consciência disso), mas não quero ser a próxima!!

Cansei! Estou cansada! Não aguento mais viver assim… Brasil mais seguro? Só se for nos castelos onde os senhores moram, com seguranças armados e pagos pelos impostos que eu recolho.

Estou desabafando porque cansei até de ficar engasgada! Tomem uma providência de vergonha, de respeito! São homens e mulheres que constroem esse estado, que justificam seus salários, que alimentam suas famílias….

 

Veja comentários no Facebook!

 
1 comentário

Publicado por em 15/10/2013 em Facebook

 

Tags: , , , ,

Prefeitura quer dar publicidade, mas deve?

Acabo de ler a notícia de que a Prefeitura de Maceió pretende divulgar através de sua página no facebook a remuneração de seus servidores (Veja Aqui!). A ideia é por em prática o plano de Portal da Transparência, enquanto o site oficial não fica pronto, e assim cumprir, o mais rápido possível, uma das promessas de campanha.

A Prefeitura de Maceió tem encarado problemas bem maiores do que os esperados, ao menos é o que faz crer o Prefeito Rui Palmeira, que tem divulgado informações sobre as contas da prefeitura, inclusive denunciando formalmente a gestão anterior – Cícero Almeida – ao Ministério Público, a fim de que este tome as providências que entender cabíveis.

Palmeira, nessas primeiras semanas de mandato, tem demonstrado que está disposto e tem boa vontade na gestão municipal. Pelo menos, tem contribuído bastante para a segurança dos munícipes ao manter a cidade bem iluminada.

Entretanto, partir para a divulgação da remuneração dos servidores municipais de forma arbitrária, sem qualquer controle e numa rede social é, no mínimo, temerário. Ora, as redes sociais hoje são usadas com frequência por meliantes a fim de descobrirem quem são os melhores alvos e quais as fraquezas dessas pessoas.

Há alguns anos a polícia pedia que as pessoas evitassem adesivos de academias ou do local de trabalho/estudo no carro para dificultar a identificação por bandidos; hoje o alerta é em relação à exposição da vida particular das pessoas nas redes sociais, uma vez que isso é mais que chamariz, é uma verdadeira porta de acesso para o bandido chegar ao inocente.

Os servidores públicos, principalmente os que gozam de algum poder político, são alvo de populares que buscam determinadas melhorias ou contato por quaisquer outras razões, e meio normalmente usado é o Facebook ou o Twitter, e já é bem difícil identificar o popular bem intencionado, daquele que possa oferecer risco.

A ideia de Rui, ou de quem quer que tenha sido, é ótima. Dar transparência aos valores pagos pela prefeitura e identificar as áreas que mais gastam. Entretanto, há meios mais seguros e eficazes para tanto. Ainda que o acesso a essas informações se dê de forma objetiva num site governamental, só de obrigar o interessado a “ir” até o determinado site já é uma dificuldade, coisa que não existe no facebook, onde basta uma “curtida” para que todos vejam o que um vê.

Além da questão da segurança, há também o constrangimento, que inclusive foi citado num dos comentários à matéria que mencionei acima, uma vez que é mais que sabida a luta de muitos por melhores condições salariais e que nem sempre é atendida, será que estes insatisfeitos com seus salários estão felizes em verem suas contas assim expostas? E aqueles que precisam se sujeitar a salários baixos por falta de opção?

Enfim, são ponderações que não custam serem feitas. A boa intenção do Prefeito é clara, mas será que tal exposição não é desmedida demais? Será que não é melhor uma publicação, em princípio, no Diário Oficial, enquanto o site apropriado não fica pronto? Ou a divulgação de matrículas em vez de nomes?

Meras ponderações…

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14/02/2013 em Municipal, opinião, Política

 

Tags: , ,

Enquanto isso, em Maceió…

Enquanto em Brasília não para de cair ministro e em Alagoas de aparecerem denúncias contra secretário, em Maceió as coisas não estão menos conturbadas.

Google Image

Nepotismo

O Presidente da Câmara Municipal viu-se diante de denúncias de nepotismo. Suas justificativas se basearam em sobrenomes coincidentes ao acaso e em parentes servidores com mais tempo de Casa que a Constituição Federal de vida. E, assim, parece ter arrefecido o calor das denúncias.

Nômade

Recentemente, os Vereadores, que aprovaram, às escondidas, emenda à Lei Orgânica do Município prevendo o vereador nômade, terão, agora, que rever sua emenda inconstitucional, ou, segundo o Ministério Público, encararão Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental junto ao Supremo Tribunal Federal.

A medida, segundo alguns, tinha endereço certo. Visava beneficiar determinados edis, os quais intencionavam candidatar-se no interior do estado e não mais na capital, o que parece ter “caído por terra”. A celeuma sobrou novamente para o Presidente legalista da Casa – aquele que prefere não decidir, mas “cumprir” parecer. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Transporte

Esta semana a Câmara Municipal foi invadida por muitos jovens estudantes, usuários de transporte público, o que se restringe, infelizmente, a ônibus. Os jovens cobraram mais atitude do parlamento que os representa frente aos interesses dos empresários.

Como os vereadores já não deliberam mais sobre tarifa de transporte público, o que hoje é de responsabilidade do chefe do Executivo – aquele que tem linha direta com “Nosso Senhor” – os estudantes cobraram o retorno da deliberação para a Casa de Mário Guimarães.

Muitos edis se incomodaram com a súbita “invasão”, mas obviamente procuraram diminuir a contenda.

Este é tema que merece destaque e atenção da sociedade. Não esqueçamos que com um transporte público de qualidade, e com preço justo, nosso trânsito tende a ser menos caótico.

Comendadores

Para amenizar as tensões, na última quarta-feira (26), os edis promoveram um grande evento para a distribuição de quarenta e dois títulos de Comendador a expoentes do jornalismo na capital.

Este blog aproveita para parabenizar a todos os amigos merecidamente reconhecidos por seus bons serviços prestados à sociedade, contribuindo com informações de qualidade para a comunicação alagoana.

Pauta

Ah, já ia esquecendo… a pauta continua trancada!! Aparentemente há gente fazendo pirraça!! hum… Será que Deus explica??

 

 

 

 
2 Comentários

Publicado por em 28/10/2011 em Municipal, Política

 

Tags: , ,

Breves considerações sobre a atuação da Câmara Municipal de Maceió

 

Nesta semana, provavelmente, a Câmara de Vereadores retomará a discussão sobre o aumento do número de vereadores para a próxima legislatura, com as eleições à porta, os cidadãos maceioenses não devem se furtar à discussão e à pesquisa sobre como seu vereador votou acerca do tema.

*****

Ainda, atentemos sobre as novas determinações pareceristas, afinal, o que se tem visto é que, em nome do “legalismo galbaniano”, quem tem legislado é a Procuradoria Geral do Legislativo Municipal. Ora, mas quem é mesmo que deve legislar?

*****

Ao analisarmos os municípios que já aprovaram o aumento do número de vereadores em suas câmaras municipais, podemos constatar que naqueles cuja reeleição será disputada não foi aprovada a alteração, permanecendo o mesmo número de edis; em contrapartida, onde a municipalidade deverá, por ordem constitucional, mudar de mãos, os parlamentares não têm titubeado em se multiplicar.

*****

Alerta ligado, ainda, aos cargos que têm aparecido para Vereadores que estão comprando a briga de “colegas”, dando a cara a bater pela opinião pública. No site http://maceio.id5.com.br/diario_oficial/ é possível acompanhar as publicações do Diário Oficial do Município.

*****

Enquanto cidadãos, temos a obrigação de eleger nossos gestores diretos (executivo) e os indiretos (legislativo), e nesta condição temos a prerrogativa e o dever de cobrar melhorias e uma Administração eficiente e moralizada. Não nos percamos com a troca de acusações, com as falácias e o jogo de empurra-empurra.

 
1 comentário

Publicado por em 10/09/2011 em Municipal, Política

 

Tags: , ,

Vereadores: uma prestação de contas social

Semana passada foi postado no Blog do Vilar uma série de informações acerca da expectativa que paira sobre a Câmara Municipal de Maceió, no sentido de ser aprovado projeto de alteração da Lei Orgânica Municipal aumentando o número de vereadores, de vinte e um para trinta e um, a tomarem assento naquela Casa.

O tema é de extrema relevância, não só aos maceioenses, mas a todos os brasileiros, que antes de assim serem considerados, pertencem a uma sociedade menor e mais próxima a sua realidade, no que tange ao seu município, seu bairro, sua vizinhança.

O jornalista Luis Vilar, com muita propriedade, manifesta-se não só nas informações colhidas e divulgadas sobre as intenções de um grupo de edis, quinze, especificamente, mas propondo de forma afirmativa – o que não parece ser comum àquela casa – medida com o fito de conduzir o tema a uma discussão ampla e embasada com a sociedade. Afinal, esta, apesar de muitos terem esquecido, é a maior interessada no assunto.

A discussão tem se atido a números, a dados técnicos, orçamentários e financeiros, sobre a viabilidade no aumento de camaristas no parlamento municipal, sobre o ponto falta-me competência para abordá-lo. No entanto, parece-me aviltante tal proposta, e não me refiro a tais números, esta abordagem deixo para aqueles que, com dados em mãos e competência matemática, poderão melhor analisá-lo.

Refiro-me à moralidade administrativa, à necessidade pública e aos anseios sociais. Não é de hoje que não é dada à população a possibilidade de acompanhamento das atividades parlamentares. Contrariamente, é comum encontrarmos munícipes que cobram por meio das redes sociais, na esperança de que tal questionamento chegue à “casa do povo”, a implantação do portal da transparência municipal, onde seja possível acompanhar as atividades legislativas – que não se resume a projetos de lei, o que já não se vê –, mas também à atividade fiscalizadora das ações do Executivo.

Ora, é gritante a insatisfação dos eleitores municipais com a atuação dos membros de nossa Câmara, entendo o quanto é perigosa esta generalização, no entanto, é o que se vê das críticas feitas justamente por quem melhor entende e sabe qual a “missão” destes representantes do povo.

Achei muito boa a iniciativa do Blog do Vilar em levar para a rede social de maior e mais veloz participação a tag #BlogdoVilar, incentivando os leitores do microblog a manifestarem-se sobre o tema. Demonstra que ações propositivas de consulta popular podem ser feitas e basta apenas uma boa ideia e boa intenção. O jornalista está de parabéns. Espero que outras ações como esta surjam em nosso meio e tenham um alcance cada vez maior.

Neste diapasão, venho propor que a ideia de oitiva da população seja posta em prática, mas que antes o portal da transparência seja implantado, levando aos munícipes informações prestacionais sobre a atividade individual dos camaristas que compõem esta corporação municipal.

Não basta justificar que o aumento do número de parlamentares não inflará as contas da casa, é necessário que haja uma justificativa moral e de interesse público para tanto. Que esta representatividade plural e equânime dos mais diversos grupos sociais e minoritários seja comprovada, afinal, o que se vê ordinariamente é que o grupo situacional, aquele que açambarca os interesses do Poder Executivo, é composto pela esmagadora maioria dos edis, o que demonstra clara afronta à pluralidade de representações e de interesses sociais.

Relevante, ainda, mencionar que é mais que sabida a situação precária de acomodação do prédio da Câmara Municipal desta cidade, sequer há espaço suficiente para os representantes do povo, seus assessores e servidores públicos. Não é de hoje que se fala numa nova sede, o que sempre esbarra em viabilidade orçamentária. Ora, ainda assim querem aumentar o número de colegas vereadores? E aí, os vinte e um que lá estão passarão a revezar seus espaços com os dez mais que querem convidar?

Apenas a título de esclarecimento: O projeto de alteração da Lei Orgânica Municipal (nome que se dá ao equivalente à Constituição Estadual e à Federal, mas no âmbito municipal) foi protocolado no último dia 16/06, com as seguintes assinaturas, em ordem:

  1. Carlos Ronalsa;
  2. Paulo Corintho;
  3. Sílvio Camelo;
  4. Amilka Melo;
  5. Francisco Holanda;
  6. Eduardo Canuto;
  7. Fátima Santiago;
  8. Netinho Barros;
  9. Théo Fortes;
  10. Ricardo Barbosa;
  11. Davi Davino;
  12. Marcelo Malta;
  13. João Luiz;
  14. Oscar de Mello;
  15. Marcelo Gouveia.
 
3 Comentários

Publicado por em 28/06/2011 em Municipal, Política

 

Tags: , , , , , ,