RSS

Arquivo da tag: esquerda

Sonhos que os militantes esqueceram

Hoje passei um bom tempo conversando com meu pai e ele compartilhou comigo o quão decepcionado está com a histórica esquerda do país “esse pessoal que foi do PCB e PCdoB e que desde que chegou ao poder, não larga por nada”, explicou com alguma tristeza.

Completei que também me entristecem atos que acompanho de afronta à democracia, como a tentativa de abortar a criação do partido novo de Marina Silva, ou as andanças do Cavaleiro “socialista” Fernando Beserra pelo Nordeste, a fim de atordoar os planos do colega de partido Eduardo Campos na corrida presidencial. Se isso não for claramente antecipação de campanha com o intuito de limitar as possibilidades de escolha do povo brasileiro, então, não sei o que seja…

Enfim, aqueles que sempre defenderam que os militantes de esquerda nunca lutaram pela democracia e liberdades individuais o que devem estar pensando do Brasil de hoje? O da corrida presidencial de cartas marcadas, o das leis que privatizam o Brasil, o da economia que se fortalece pela moeda estrangeira, o das alianças internacionais com países liberais, o do patrulhamento virtual, o da perseguição ideológica, o da proteção aos grandes latifundiários, o das leis que obrigam o cidadão a fornecer provas contra si mesmo, o do enfraquecimento do Ministério Público, da educação, saúde e segurança sucateados?…

Registro que acho ótimo que o Brasil procure equilíbrio no capitalismo, mas o Brasil de hoje está longe de ser o mesmo do sonho dos militantes de outrora. Das duas uma: ou os sonhos mudaram, ou nunca sonharam…

Ponto positivo é o aumento do poder aquisitivo dos mais humildes, mas sem educação de qualidade e sem incentivo aos valores e à moral que desenvolvem uma nação com igualdade, liberdade e solidariedade, estamos distribuindo renda para que os mais ricos sejam cada vez mais ricos…

Custa nada ponderar!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10/06/2013 em opinião

 

Tags: , ,

Direita e Esquerda bipolares

As discussões acerca de direita e esquerda há muito perderam completamente o sentido. Afinal, ambos os conceitos nasceram pouco antes da Revolução Francesa, quando os revolucionários – contrários à monarquia – sentavam à esquerda na Assembleia, e os partidários do Rei (clero e nobreza) sentavam à direita.

Google Images

Entretanto, esse pensamento raso e bipolar já não faz sentido numa sociedade acostumada às liberdades e à pluralidade de pensamento, sendo natural que em determinadas situações o comportamento seja mais conservador ou mais revolucionário, onde se pretenda o continuísmo ou a mudança. Ora, já diz o ditado popular “quem tem ideia fixa é louco”.

Já não vivemos numa monarquia absolutista e, em princípio, não corremos tamanho risco. As desavenças políticas, assim como o pluripartidarismo, são essenciais a uma sociedade democrática, lastreada nas discussões e no debate de ideias, onde o que se prioriza não são personalidades, mas fatos, pontos e contrapontos, verdades e versões.

E, indubitavelmente, a maior das conquistas do mundo moderno é a liberdade.

Liberdade de pensamento, de religião, de culto, de expressão, de comunicação, de informação, de profissão, de sexo, de miscigenação, de amor… Uma vez conquistados não é possível que se admita seu retrocesso.

As lutas e a, eventual, conivência de nossos antepassados nos trouxeram a esta realidade. Se hoje não está tudo perfeito, cabe a nós entendermos o passado e escolhermos o futuro que pretendemos.

Parar o mundo e dividi-lo em direita e esquerda é esquizofrênico, é acreditar que todos pensam igual ou em oposição direta, não é assim, todos são diferentes, e tentar massificar pensamentos e posições é de um radicalismo insustentável.

As pessoas estão sempre abertas as suas experiências e às de outros, e normalmente procuram praticar o que aprenderam em suas próprias vidas, porque não fazer isso com os sistemas políticos e econômicos, com as posições partidárias? A ideia não é que o interesse público seja protegido e amparado? Pois que bandeiras deem lugar a ideias e à troca de opiniões, debates e não acusações são realmente relevantes para a sociedade.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22/02/2013 em Política

 

Tags: ,